Inversor de Frequência

CFW500 Modbus

Por maio 21, 2019 julho 23rd, 2019 Nenhum comentário

O inversor CFW500 através de um modulo adicional plug-in, tem a opção de trabalhar com o protocolo de comunicação Modbus RTU. Descrevendo a grosso modo este protocolo, temos que o mesmo trabalha em regime de mestre-escravo, sendo que a comunicação se inicia quando, o mestre envia uma solicitação, e o escravo lhe envia uma resposta do que foi solicitado.

Entenda como funciona basicamente a rede Modbus, alguns parâmetros de programação e padrão do protocolo utilizado. Acesse!

Plug-in Modbus

Alguns parâmetros são essenciais para o entendimento de funcionamento da rede Modbus, como por exemplo, o número de escravos que a rede permite ser comandado pelo mestre, que neste caso são 247 escravos. O fator crucial para que a lógica seja executada conforme programado, é que cada escravo contém o seu endereço na rede, onde através desse endereço o mestre enviará a mensagem para o escravo em questão.

Outro parâmetro importante da rede Modbus é a taxa de comunicação, onde será identificado a velocidade de transmissão dos dados. Outros parâmetros estão relacionados diretamente com a escolha da taxa de comunicação, sendo eles:

  • T 11bits: Este tempo representa o tempo de transmissão de um byte de dados (11 bits), e é determinado de acordo com o valor da taxa de transmissão selecionado;
  • T 3,5x: Este tempo representa a indicação de quando uma mensagem começa ou termina na rede, já que não existe um caractere que identifica este acontecimento. A relação deste tempo é a multiplicação de 3,5 vezes T 11bits. Com a ocorrência deste tempo sem recebimento ou transmissão de dados, a rede identifica que iniciou ou terminou um telegrama de mensagem.

Podemos citar alguns exemplos de interação entre mestre-escravo,como, CLP (Controlador Lógico Programável), onde este executa a função de mestre e Inversor de frequência CFW500, que faz a função de escravo.

Como escravo da rede Modbus RTU, o inversor CFW500 WEG, possui determinadas características, como por exemplo: conexão da rede via interface serial RS485, taxa de comunicação, formato dos bytes e endereçamento definido através de parâmetros. A parametrização é de forma intuitiva através do manual do inversor CFW500.

Confira mais sobre componentes da rede Modbus, com o inversor CFW500 WEG, acessando o link.

View Tech

Autor View Tech

Engenheiro Eletricista 25 anos de experiencia na área de Automação e Manutenção Industrial. Proprietário da Empresa View Tech Engenharia de Automação.

Mais artigos de View Tech

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: